Californication e a vontade de ser Hank Mood

Creio que nunca falei de seriados por aqui. De cinema, coisa que eu gosto muito, falei pouco ou nada. Se o texto já é ruim quando tenta ser apenas uma história, o que será dele quando for crítico.

Mas enfim, eu gosto de algumas séries. Não sou do tipo maníaco, pois as emissoras tem a brilhante idéia de transmiti-las nas noites de sexta-feira, sendo que o Asterix não passa nada além do show do Joe Cocker. “Unchain my series, set me free Universal”, diria o barbudo. Assim sendo, vi pouco de Heroes e um tanto menos de Lost.

No mais, um episódio pingado de Two and a half men, outro de The new adventures of old Christine, Scrubs acolá, Seinfeld para matar a saudade e por aí vai. Mas nada que beire a fissura de perder um programa qualquer para ver uma série.

Porém nem sempre foi assim. Havia tempo em que eu vivia um sentimento quase infantil [/RPM] com o 24 Horas. Sério, aquela coisa de querer ser o Jack Bauer, de torturar a mãe no café da manhã para saber onde diabos tinha ido parar minha caneca de café. Sim, eu via uma cadeira e queria chutá-la, sempre pronto para cercar o perímetro. às terças, então, eu não existia, vez que a Fox passava o seriado neste horário.

E essa coisa voltou com Californication. Quando a Warner anunciou a série, torci o nariz por conta de David Duchovny. Arquivo X sempre foi mala e eu nunca encontrei a verdade na rua. Além do mais, tive a péssima experiência de assistir Evolução, talvez a pior comédia que eu já vi na vida. Hank Mood seria mais um no mar de presonagens que perderam para a Serramalte. Até quatro dias atrás, quando comecei a ver a série.

Duchovny é Hank Mood, escritor que está em “conflito com Deus”. Na verdade o conflito é com ele mesmo, o tal do bloqueio, a mulher amada que vai casar com outro, o sol da California. E o sobrenome Mood não poderia ser mais próprio para o personagem. Ele é aquilo que eu sempre quis ser: filho da puta, mas com um carinho além do samaritano pela humanidade. Da mesma forma que ele cheira cocaína nas costas de uma prostituta para se punir pela morte do pai que tinha uma amante, compra uma guitarra usada por US$ 13 mil para satisfazer os dons musicais e a benevolência da filha, vez que o vendedor estava na merda e precisava de dinheiro.

Não bastasse isso, Mood tem desprezo por blogs. Só isso já vale a primeira temporada toda.

PS: a dica de que Californication é ótimo foi da Imperatriz. Tirando o fato de ter eu como namorado, ela tem um puta bom gosto.

PS2: The Tudors é outra série a ser vista. Não só pelas mulheres de Henrique VII. É que o Papa da segunda temporada é o Júlio. E se eu já era o tal como Imperador, assim serei como Papa. Interpretado pelo Peter O’Toole, vejam só.

PS3: Eu disse, o texto ficou uma merda.

PS4: Podiam ter escolhido um nome melhor. Californication me remete aquele disco medonho do Red Hot Chilli Peppers.

PS5: Chega de PSs.

Anúncios

8 pensamentos sobre “Californication e a vontade de ser Hank Mood

  1. atruculenta disse:

    Concordo que Californication é um nome de merda pra uma série realmente ótima! E The Tudors eu to começando agora e to gostando bastante tb.
    bjos

  2. Raphaela Ximenes disse:

    The Tudors amo de carteirinha e Californication tb me lembra o disco ruim do RHCP, mas a série é foda! Serviu pra salvar o nome.
    Beijos!

  3. Lilhá disse:

    eu acho q vc vai curtir tbm ‘ how i met your mother’, tipo, um nome comprido que não remete a nenhum CD e a pronúncia de MET com MOTHER é broxante, mas é +QD+.

  4. Beijomeliga disse:

    Se você fosse Hank Mood, eu roubaria seu livro engavetado. Mas faria uma dedicatória pra você e tal :P

  5. gabriela disse:

    111111111111111111111111111111111111111111111111111iraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaddddooooooooooooooooooooooooooooooo

  6. joao paulo disse:

    voce concerteza nao aprecia uma boa musica pois aposto que concerteza voce fica em seu computador conversando no msn e escutando banda de garagem pois o disco californication ser medonho é porque voce deve ser um idiota!

    nao aprecia uma boa musica!

  7. joao paulo disse:

    lembrando a quem acha o disco ruim fassa um disco de mais suceço! voces nao tem copetencia para isso!

  8. alexandre disse:

    concordo com o joao paulo, isso tirando os erros gramaticais dele..

    californication do red hot é um puta disco.

    mas como sempre a criticos que acham que é ruim..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: