Perdeu Google!

Se você ainda recorre ao Google, Deus, São Longuinho ou qualquer outra redundância para encontrar qualquer coisa, deve ler esse texto. Porque depois das informações aqui repassadas, o Google terá tanta utilidade quanto o cérebro da Carla Perez tem sua relevância para a comunidade científica mundial.

A Lapa, para quem não conhece, é um dos bairros mais tradicionais de São Paulo. E como todo bairro tradicional de São Paulo, fecha aos domingos. Portanto, é bem provável que no almoço de domingo você tenha que recorrer às comidas de microondas, caso o gás de cozinha acabe. Isso, é claro, até a descoberta do bar do Seu Zé.

O bar do Seu Zé fica na esquina das ruas Roma e Monteiro de Melo, localizado a poucos metros do centro urbano do bairro, a rua 12 de Outubro – também conhecida como o Purgatório pré-Inferno da 25 de Março (aliás, qual é o problema com essas ruas cujos nomes são datas?). Encravado entre o caos comercial e a quietude residencial do Alto da Lapa, seu Zé vende tudo que você precisa. Desde que você leve o refil, é claro.

Exemplo disso foi a busca por um botijão de gás. Era domingo de sol e eu e a Imperatriz, alugamos um caminhão para levar a galera para comer feijão fomos convidados pelo Junior para visitar a Ipojuca Tower, laje de quilômetros quadrados onde o caro amigo mora. Seguimos com fina truculência para o local onde Junior, famoso gastrônomo, preparava um frugal almoço. Preparava até que o botijão resolveu ter seu momento Evo Morales e parou de fornecer o combustível para o fogão. Ao invés de baixarmos a cabeça, tal qual o Governo Federal, decidimos sair em busca do botijão dourado, visto que as empresas de gás, aos domingos, se transformam na Bolívia no que diz ao fornecimento.

Em um boteco na Monteiro de Melo tomamos conhecimento do mito. “Vai até o bar do Zé”, nos disse o atendente do refinado local (que trabalha 24 horas por dia e onde, certeza, ainda passarei uma virada de ano). Fizemos cara de “Oi? Boteco? Queremos um botijão, não uma dose de Jurubeba Leão do Norte”, mas decidimos arriscar. Estávamos prestes a conhecer a sede do Mercado Livre.

O bar do Seu Zé é rústico. Aliás, rústico uma merda: o bar do Seu Zé cheira a napalm em uma manhã no Vietnã. É daqueles botecos onde você só pede bebidas que pode tomar no gargalo, para não arriscar pegar um copo também conhecido como Encontro Internacional das Baratas. E você vai contrair tétano naquele gargalho, algo que nem a ciência é capaz de explicar. Seu Zé, um senhor com lá seus 2.800 anos, atende com aquela cordialidade de sempre:

– Opa!
– Boa tarde. Você tem botijão de gás?
– Claro. Tenho esse aqui, um dos espólios do bunker de Hitler. Esse outro foi usado para assar o pão da Santa Ceia. E tem aquele ali, que explodiu o Arquiduque Francisco Ferdinando.
– Ué, mas o Ferdinando não morreu com um tiro?
– Hahahahahahaha, ouviu essa, Miro?
– Enfim, queremos um botijão.
– Trouxe o refil?

Levar o refil é importante. Tudo que o Seu Zé vende deve ser substituído. Se você precisar de um corpo para enganar sua seguradora e ganhar uma bolada, o Seu Zé te vende. Basta que você leve o refil. Fomos atrás do botijão vazio e, na volta, ele nos deus as opções.

– Tenho esses aqui, tudo com lacre da Ultragás.

Eram todos impressos em barro, uma beleza da ciência inca. Acabamos levando o botijão mais novo, que havia sido usado como peça da primeira nave espacial da União Soviética. Isso mesmo, União Soviética. Aos sairmos esbarramos em um tipo estranho. Um cara com chapéu Fedora, chicote, jaqueta de couro. O figura chegou esbaforido ao bar, como que tivesse fugindo de oficiais nazistas.

– Opa! – disse Seu Zé.
– Você tem aí o Santo Graal?
– Claro!
– Eu quero um, quanto custa?
– Trouxe o refil?

Certeza que o Seu Zé tem o dedo do Lula para vender. Pena que o presidente do nosso país nunca conseguiu levar o refil. Ou nunca conseguiu resistir ao irresistível anúncio do garrafão de vinho Chalise à cinco reais.

Anúncios

9 pensamentos sobre “Perdeu Google!

  1. gabrielouback disse:

    “Ou nunca conseguiu resistir ao irresistível anúncio do garrafão de vinho Chalise à cinco reais.”
    tem refil?

    [genial a crônica de hoje!! sério].

  2. Junior disse:

    Crônica? Meninos, eu ví, vivenciei e viví a experiência. Seu Zé é Deus \o/

  3. Beijomeliga disse:

    Seu Zé salvando a macarronada de domingo since… Desde quando mesmo?

  4. RodOgrO disse:

    “- Opa! – disse Seu Zé.
    – Você tem aí o Santo Graal?
    – Claro!
    – Eu quero um, quanto custa?
    – Trouxe o refil?”

    MORRI!!! HAHAHAHAAHAHAHAHA

    Tinha que ter acabado aí, juropordeus.

  5. atruculenta disse:

    No próximo almoço levamos o seu Zé e deixamo o refil no lugar.

  6. […] São Paulo, fecha aos domingos. Portanto, é bem provável que no almoço de domingo você… leia mais fonte: […]

  7. […] Leia mais direto na fonte: oimperador.wordpress.com […]

  8. […] Leia mais direto na fonte: oimperador.wordpress.com […]

  9. Lara disse:

    quero conhecer o seu zé. juro!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: