“O amor nos tempos do Toddy”

A morte de Marcelo Silva, que batia, pintava e bordava com Susana Vieira, não pode passar sem render um thriller de ação. E  eu já tenho um roteiro, como sempre recusado por Hollywood:

Marcelo Silva (Vinnie Jones) era um pacato oficial da lei que, por força das circunstâncias, ingressou no mundo das drogas. Seu parceiro, Alonzo (Denzel Washington, fazendo o papel que lhe rendeu o Oscar em Dia de treinamento), era um drogadito de marca maior e acabou viciando o colega em Toddynho. Marcelo Silva passou uma temporada em clínicas de reabilitação, buscou Jesus (Jim Caviezel) e tentou achar o Menino Dourado (Eddie Murphy), mas ele havia sido raptado. Até que algo mais antigo do que qualquer religião apareceu em sua vida.

Susana Vieira (Robin Williams) era uma atriz decadente do cinema mudo, surdo e com problemas mentais. Estava sozinha no mundo, pois havia vivido mais do que a história permitia. Seus amigos, Theodore Roosevelt, Moisés e mais uma turma que hoje é história na Fefelech, acabaram morrendo ao longo dos muitos anos. Seu dinossauro de estimação tinha ido embora com um asteróide. À Susana restava apenas esperar que Deus acabasse com o martírio dos seus anos de idade. Até que Marcelo apareceu na sua vida.

Ainda aspirando uma vida melhor, Marcelo conheceu Susana em um dos eventos do programa de reabilitação que frequentava. Foi amor à primeira vista da carteira de Susana. Marcelo viu ali uma chance de finalmente realizar seu maior sonho: tomar 47 mil Toddynhos e arrumar diversos companheiros de aventuras no Inferno. Susana queria apenas morrer.

O casal marcou de tomar um ar no Hospital Miguel Couto e, tempos depois, casaram. Cansado da rotina banho, naftalina nas roupas, perfume de Salompas e rosquinhas com leite no meio da tarde, Marcelo decidiu arrumar uma prostituta (Scarlet Johansson, que aparecerá pelada o filme todo) e encher o cu de Toddynho. Muito louco com o achocolatado que o cão botou para ele beber, Marcelo quebra o quarto do hotel, bate na prostituta pelada, atropela três velhinhas, recusa um sanduíche para cinco crianças etíopes, picha o símbolo da suástica em um judeu, chama um taxista negro de crioulo e foge até a padaria mais próxima, onde toma todos os Toddynhos da casa. É o princípio do fim.

Em seu mausóleu, Susana recebe Ana Maria Braga (Vanessa Redgrave), uma das únicas amigas de longa data que sobreviveram ao Êxodo, à Santa Inquisição, ao Iluminismo, ao Holocausto e ao funk carioca. Ana Maria, sempre acompanhada do seu fiel escudeiro Louro José (Mark Dacascos), adverte Susana do perigo que Marcelo pode trazer, explica que com a idade avançada o sexo não é mais importante e prepara camarão na moranga, o qual as duas degustam embaixo da mesa. Susana escuta com atenção e fica com o pé atrás, por conta de problemas na articulação. O que ela não sabe é que, desde o baile de Viena em 1802, Ana Maria é apaixonada por Susana!

Marcelo consegue se explicar e tudo acaba bem. Até que, tempos depois, ele trai Susana de novo, dessa vez com uma jovem e ilustre desconhecida estudante (Evan Rachel Wood). Sempre carinhoso, Marcelo bate na estudante até que ela fique com a aparência de um frango desossado com um caminhão (Amy Winehouse, em seu primeiro papel). Desconsolada, Susana pede o divórcio e a dentadura.

Ana Maria, vendo uma oportunidade de sexo velho e lésbico, chama seu capanga, o Louro José. A coisa é simples: afogar Marcelo no Toddynho e largá-lo em uma garagem de apart-hotel, local mais frequentado pelo policial. Louro José, implacável, dá duas bicadas em Marcelo e espalha Toddynho por toda a cena do crime. Inconsolável, Susana vai procurar conforto nos braços de Ana, onde acaba falacendo, depois de séculos de angústia. Ana Maria, sem saber o que fazer, prepara um bolo de cenoura e chama os comerciais.

Ridley Scott, leia este espaço, por favor?

Anúncios

7 pensamentos sobre ““O amor nos tempos do Toddy”

  1. Fernando disse:

    não sei se eu morri no Robin Willians ou no Mark Dacascos.

    merece um Oscar só pela Johansson pelada.

  2. Renan disse:

    AUHUHAUHA… você fez voar toddynho pra tudo quanto é lado aqui só com o título…

  3. Joana disse:

    E pq diabos hollywood não aceita seus roteiros? Por essa e outras que eu não gosto de filmes Hollywoodianos! /cool

  4. Lilian disse:

    And the Oscar goes to YOU! hahahahahahahahahahahahahha

    Best movie ever…

  5. Flávia disse:

    A sua escalação foi perfeita. Principalmente ao escalar Robin Williams como Suzana Vieira.

    Beijos!

  6. […] Leia mais direto na fonte: oimperador.wordpress.com […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: