Eidon, eidon, eidon, pau na lomba do Poseidon

Fosse eu o Homem Aranha, o mar seria Doutor Octopus. Não que eu não goste de água, apenas abomino o fato de não poder controlá-la. Um chuveiro eu desligo, já o mar não, nem com toda a minha magnitude enquanto César e tal.

Mas como vemos nos quadrinhos, Peter Parker sempre enfrenta seus desafios para dar aquela ajuda para Nova York. E eu fui ao mar em nome de algo maior que a Grande Maçã. Afinal, imaginem o quão legal seria para a Imperatriz ver a cena mais jeca dos últimos dois mil e nove anos: este que vos escreve ao mar.

A coisa se deu mais ou menos da seguinte forma: entrei no mar, que no momento se comportava como se fosse uma grande piscina, começando infantil e se tornando olímpica. Uma marola aqui, uma marola acolá e todo mundo começou a ficar muito louco de marola quando menos vi, tinha água quase na na altura do peito, naquela região conhecida como “estou em pânico por ter água na barriga”.

Só que Poseidon é um cara meio filho da puta. Ele vê que você venceu um pouco dos seus medos (eu sempre pensava que poderia ser pior. Sei lá, um mar de ratos, por exemplo) e manda uma saraivada para te mostrar que ok, você pode ser imperador em terra, mas no mar não passa de alguém que chora feito uma criancinha. Cumprindo seu dever de soberano dos mares, o velho barbudo – que não é o capeta mas carrega um tridente – mandou uma marola mais alta:

– E agora amor, que eu faço, que eu faço, O QUE EU FAÇO!? AHHHHHHHHHHHHHHHH!
– Passa por baixo, Ju. Só isso.

Então eu mergulhei, braços batendo freneticamente, como se estivesse prestes a morrer. A marola passou, me empurrou um  pouco e eu entrei em pânico. Não fosse o sorriso da Imperatriz, eu teria morrido ali mesmo. Veio a segunda, a terceira e a mesma cena patética se repetia. Até que veio a grande onda.

– Agora você abaixa mesmo.
– Mas eu…
– ABAIXA!

Eu não abaixei. O filho da puta do mar caiu por cima de mim. Fui levado à praia, batendo os braços na areia como alguém que perdeu seus óculos. Tinha dado mal jeito no braço, tinha engolido água salgada e não morri por azar de vocês. Mentira, não tinha como morrer, vez que fui parar em um lugar onde a água batia no meu calcanhar.

Mas juro que nunca mais digo que o Aquaman tem o poder mais fuleira dos quadrinhos. Devemos respeitar um cara que convence um camarão a ir para a panela.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Eidon, eidon, eidon, pau na lomba do Poseidon

  1. Ivan Neto disse:

    HHAHHAHHAHAHAHHAHHAHHAHAH

    Sensacional. Deve ter sido uma cena antológica. Nas próximas férias tenha a decência de fazer um streaming (tecnologia taí pra isso) o/

  2. Pedro disse:

    Cara, o mar é como aquele amigo gay gente boa da sua namorada: por mais que pareça perfeitamente confiável, não vire as costas pra ele.

  3. Beijomeliga disse:

    O jeca mais fofucho do mundo!
    E a grande onda tinha, sei lá, vinte centímetros.

  4. […] um porre. Tá, não foi tão ruim. Teve a praia, o sol, as cervejas, o carteado, as comidas e o namorado fazendo o jeca no mar. Isso foi legal. O resto foi o resto. Ano que vem espero ver 2010 chegar lá […]

  5. Lela disse:

    Da próxima vez manda ele se abrir em dois e vai buscar uma pérola pra Imperatriz!

  6. Rodogro disse:

    Imaginar essa cena foi a coisa mais engraçada da semana (sim, antecipadamente). CALDO!!

  7. Lara disse:

    hahahahahahahahahahaha! Queria ter visto isso…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: