Socialismo caboclo

Não tinha medo do Karl Marx e Socialismo
Era o que todos diziam quando o czar cedeu
Deixou para trás todo marasmo do papai
Só para sentir no sangue o calor das empregadas, daquele povo plebeu

Quando criança só pensava em comunismo
Ainda mais quando o soldo do pai não rendeu
Era terror da burguesia da cidade e na escola
Até o professor com ele se encheu

Ia pra igreja só para roubar o dinheiro
Que as velhinhas colocavam na caixinha do altar
Sentia as vezes que precisava de panfleto
Porque O Capital é grande e enche o saco recitar

Ele queria sair para panfletar
Falar mal de qualquer religião
Juntou dinheiro poder viajar
De escolha própria, escolheu a União

Comia todas empregadas da cidade
De tanto falar de igualdade
Aos doze filosofou
Aos quinze foi mandado para França
Onde estudou muito sobre o Termidor

Não entendia como a vida funcionava
A discriminação por causa de sua barba e Marilda seu amor
Ficou cansado de tentar achar resposta
Comprou uma passagem e foi direto para Bonn

Lá chegando foi tomar uma cerveja
E encontrou um comunista com quem foi falar
O comunista, tinha umas idéias, ia perder a viagem
Mas Marx foi lhe salvar

Dizia ele “estou nessa de comunista
Pra ser vagabundo melhor não há
Tô precisando escrever a minha bíblia
Te dou o nome e você vai me ajudar

E Marx aceitou sua proposta
E fumou um baseado pra aceitar a teoria geral
Ele ficou bestificado com a teoridade
Saiu de casa cantando com sua barba de Natal

Vou escrever a doutrinha socialista
No fim do ano, paro de trabalhar
Encher o saco de toda a burguesia
Virar camisa de comuna na Paulista

Na sexta-feira ia pro trem da cidade
Esperar as empregadas para curar o torpor
E conhecia muita gente ignorante
Até um neto bastardo do seu bisavô

Um alemão que vivia na berlinda
E queria com o comunismo se salvar
Seu nome era Engels e dizia
Nosso negócio, nós vamos começar

Mas Karl Marx até a morte amolava
Com essa história de igualdade para se alimentar
E via as sete horas o noticiário
Dizendo que o comunismo não ia vingar

Mas ele não queria mais conversa
E decidiu que com o Engels ele ia se virar
Elaborou mais uma vez O Capital
E com seu livro chato saiu para pregar

Logo logo os comunas da cidade souberam da novidade
“Tem bagulho social aí!”
E Karl Marx ficou rico e comeu todas as empregadas dali
Fez amigos, frequentava o Smolni
Ia pra festa do Lênin pra se libertar
Mas de repente, sob a má influência
Dos comunas da cidade começou avermelhar

Já no primeiro protesto ele dançou
E pro inferno ele foi pela 38ª vez
Capitalismo e leitura do Capital
“Vocês vão ver eu vou doutrinar vocês”

Agora Karl Marx é comunista
Destemino e temido no mundo oriental
Não tinha medo da burguesia,
de padre, capitalista, do Hegel, Smith e tal

Foi então que conheceu uma empregadinha
E de todo o comunismo ele se esqueceu
Marilza era uma operária linda
E o coração vermelho dele
Para ela prometeu
Ele dizia que não ia doutrinar
Capitalista ele voltou a ser
Marilza pra sempre vou te pagar
Te dar férias e cumprir a CLT-ê-ê

O tempo passa e um dia vem a porta
Um senhor capitalista com Torá na mão
E ele faz uma proposta ortodoxa
E diz que espera uma resposta
Uma resposta do alemão

Não cobro 10% por jornal
E não dou aula pra criança sobre Abrahão
E não protejo judeu de 10%
Que fica atrás da Torá com o cu na mão

E é melhor senhor sair da minha casa
Nunca brigue com um socialista com O Capital na mão
Mas antes de sair cobrando a visita o rabino disse
Você perdeu 10% meu irmão. Você perdeu 10% meu irmão
Esse dinheiro vai cair na minha mão
E vou vender meu kibuttz pro Aarão

Não é que Marx estava certo
Comunismo era o correto e ele não foi trabalhar
Estudou e no meio da aula de ciências
Descobriu que o Lênin tinha tomado seu lugar
Falou com Engels que queria um parceiro
Sabia escrever besteira e queria se armar
Engels trazia a propaganda da Bolívia
E Marx distribuia aos moscovitas

Mas acontece que o tal do trotskista
comunista sem vergonha apareceu por lá
Ficou sabendo dos planos do marxismo
E decidiu que com o Marx ele ia acabar

Mas Engels trouxe o Capital versão 2
Trezentos quilos sem ainda editar
E Marx decidiu usar a arma só depois
Que o trotskista começasse a declamar

O trotskista comunista sem vergonha
Organizou a passeata e fez todo mundo cantar
O trotskismo salva gente inocente
E quem for marxista vai pra Sibéria trabalhar

E Marx há muito não ia pra casa
E a saudade começou a apertar
Eu vou me embora, eu vou ver o Engels
Já tá em tempo de a gente se casar

Chegando no partido então ele chorou
E comunista ele virou pela segunda vez
Com o troskista o Engels se casou
E uma nova doutrina ele fez

E Marx era só homem planfeto
Então o trotskista pra um duelo ele chamou
Amanhã as duas horas na Praça Vermelha
É pra lá que eu vou

E você pode escolher o seu discurso
Que eu vou falar sobre o trabalhador
E falo sobre mais -valia
E sobre a relação empregado-empregador

E Marx não sabia o que dizer
Porque comia empregadas de montão
Viu um editor de jornal e disse-lhe
Que tinha um discurso para civilização

No sábado então as duas horas
Todo povo sem demora
Foi lá só para ouvir
Um barbudo que falava umas lorotas
E confrontado pelo trotskistas começou a sorrir

Sentindo a batata assando
Olhou as empregadinhas e tocou a aplaudir
E olhou pro jornaleiro e pros comunistas
E a gente do Comitê que perdia tempo ali

E se lembrou de quando era uma criança
E de quantas empregadas comeu até ali
E decidiu entrar de vez no comunismo
“Se o capital virou circo, eu vou para ali”.

E nisso sossegou seus olhos e então Engels ele reconheceu
Ele trazia O Capital Edição 2
Livro chato que ele concebeu

Trotskista eu sou comuna, coisa que você não é
E não exploro as empregadas em vão
Olha pra cá seu trotskista sem vergonha
Dá uma olhada nesse povo e chama logo de União

E Karl Marx com o Capital Edição 2
Deu cinco batidas no trotskista traidor
Engels se arrependeu depois
E escreveu mais chatices a dois

O povo declarou que Karl Marx era santo porque sabia escrever
E a alta burgesia da cidade juntou todas as coisas e foi pra América ver TV
E Karl Marx não conseguiu o que queria
Quando foi para a Lapônia com o Papai Noel ter

Ele queria era falar pro Bom Velhinho
Pode ir tirar férias que eu sou seu…

COOOOOOOOOOOOOVEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE-EEEEEEEEEEEEE-ER!

Anúncios

9 pensamentos sobre “Socialismo caboclo

  1. nilsonjr disse:

    Parabens Imperador! Vc chegou num ponto de infâmia nunca antes visto!!!! hahahaha

  2. Nathaly disse:

    Acompanho teu blog há um tempão e nunca comentei nada… mas hoje eu tenho que te dizer: cara, vc é o máximo!!!!! Adorei!!!!!!!!

  3. Ana disse:

    Falta gravar um video agora!

  4. Esse surpreendeu =D Adorei, imagino cenas para um clip!

  5. Nelson disse:

    Fantástico!

  6. eu estou definitivamente sem palavras.
    juro que essa é sua obra prima.

  7. Izidoro disse:

    Recomendo a você um pouco de leitura sobre o tema, pra nao cometer gafes como as presentes no texto, além do que isso nao passa de comédia de baixo nivel, a superação pela sátira não é seu ponto forte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: