Crise de superpoder

– Cara, esse negócio cansa demais…
– Que negócio?
– Esse de ser o Deus do Trovão e tal. Porque pensa bem: se o mundo estivesse numa relax, numa tranquila, numa boa, ninguém acreditaria que um mané da roupa ridícula veio de Asgard com um martelo…
– Pô, é o Mjolnir. E Tim Maia racional é do caralho!
– … então, um MARTELO, sem contar o capacete de asinhas – e eu rio disso sempre que posso – para salvar o mundo. Entende o que eu digo? Uma roupa patética e asinhas no capacete. E uma merda de um martelo de bater bife.
– A vida é injusta com os grandes.
– Porra nenhuma! O Obama tá lá, na dele. Qualquer coisa é só me chamar. Ou te chamar. Isso cansa.
– Crise de superpoder é a primeira vez que eu vejo.
– E todo mundo tem livro para suas crises. Tem livro para crise de escritor, para crise de meia idade. Agora eu me fodo, com asinhas na cabeça.
– Você tá meio obcecado com esse negócio das asas, né?
– Obcecado? Tu já usou essa merda? Eu sempre acho que as pessoas riem por dentro, quando eu entro com a minha capa ridícula e as asinhas. Sem contar as falas empoladas. O puto do Shakespeare morreu e eu tô aqui, falando desse jeito merda.
– Eu tenho asinhas na cabeça também. E veja, eu combato as mazelas do mundo com um escudo. Ninguém me deu uma arma nem nada. Me deram uma superforça mequetrefe e um escudo. Queria muito poder desintegrar alguém com uma arma, mas olha que merda, tenho um escudo. Eu jogo o escudo nas pessoas, daí elas no máximo ficam tontas e a vida segue. O Tony, ele desintegra pessoas. Eu deixo elas tontas para o Tony. E ele voa.
– Voar é legal, concordo…
– E porra, eu represento a América. É mais ou menos como ser torcedor do Fluminense ou anti-semita nos dias de hoje. Eu sinto o asco por parte da galera quando chego naquelas republiquetas de bosta para tirar um ditador qualquer do poder. Os caras me destratam com razão. Digo, qual é o propósito? Tiramos o cara e uau, tudo muda. Porra nenhuma, eu digo!
– Cara, eu não discuto política de vocês, humanos.
– Mas asinhas você discute, né?
– Senhores, aqui está, uma porção de asas de frango e dois bifes.
– Filha da puta, tua mãe é tão gorda que o Blob disse para ela emagrecer!
– Leva na esportiva, pô. Pedi uma vez isca de peixe pro Namor e ele chorou igual uma menininha. Peguei leve, vai.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: