Liga da Justiça Informal da Internet

Prefácio

É impossível deixar de analisar esse texto para as gerações futuras. Porque ele é muito a frente de nosso tempo. Ele é a frente de todos os tempos. Não há como dar-lhe o adjetivo de Bíblia. Em um trecho, alcunhei como “tratado”, mas isso também é impossível. Não daria um livro, mas uma obra de importância maior do que uma cesta com a penicilina, a luz elétrica, a imprensa e a Monica Belucci. Com certa razão, daqui alguns anos esse texto será classificado como uma grande pilha de merda. Mas isso não é verdade. Porque a merda incomoda Felipe Neto. E ele não falará sobre isso, como forma de boicotar que a merda que ele escreve se propague a ponto de ser convidada para a premiere da novela Caminho das Índias, evento que reuniu intelectuais como Vitor Fasano, Juliana Paes e… FELIPE NETO.

Criticar ou ficar calado?

Critico muitas coisas, não tenho como evitar, sempre fui assim. Aquilo que me incomoda, exponho, o que me atinge, exponho, o que me satisfaz, igualmente o faço. Logo, em pouco tempo esse blog já havia se tornado uma verdadeira extensão dos meus pensamentos, onde basicamente se resumia a críticas, elogios e sugestões para, quem sabe, resultar numa possível maior harmonia na convivência dos que lêem. Contudo, comecei a perceber (e agora já se torna bastante claro) que quanto mais criticamos, maior é o sucesso de determinada bobagem.

Felipe, de forma filosófica (atentem ao trecho “esse blog já havia se tornado uma verdadeira extensão dos meus pensamentos, onde basicamente se resumia a críticas, elogios e sugestões para, quem sabe, resultar numa possível maior harmonia na convivência dos que lêem“) inicia o tratado deixando claro seu ponto: o sucesso de algo depende única e exclusivamente do que ele diz na internet (pega essa, New York Times). É uma espécie de Pequeno Princípe para intelectuais, onde Felipe Neto indica: tu te tornas responsável pelo link que compartilhas.

Existem pessoas dispostas a qualquer coisa para fazer sucesso. Algumas escolhem, por exemplo, o caminho dos “haters”, que, pelas minhas observações, parece ser facilmente tangível para quem tem verdadeira determinação. A fórmula é simples: faça alguma coisa extremamente idiota que cause raiva naqueles que têm relevância. Dessa forma, muita gente ficou famosa na internet, seja fazendo um vídeo completamente babaca, criando um blog fake cristão ou utilizando um script para aumentar a quantidade de seguidores no Twitter. O objetivo? Ora, por favor, até uma criança de oito anos pode perceber: causar!

Manual para o sucesso na internet, volume único e inestimável. Se você caiu em desgraça com “aqueles que têm relevância“, terá sua “coisa extremamente idiota” nas páginas da Esquire, da Veja, no Jornal Nacional e, quem sabe, no Hora do Povo. Imaginem Newton no Youtube, fazendo malabarismo com maçãs e dizendo que o Felipe Neto não conhece as vertentes da física. Reconhecimento internacional.

O problema então reside exatamente aí. Criticar seria a solução? Mostrar ao povo o quão insignificante é determinada atitude não pode acabar por torná-la significante, contrariando os objetivos dos que gostariam que tal presença desaparecesse?

A fórmula é simples: todo mundo mostrou quão insignificante era a busca por uma raça ariana pura. O resultado: milhões de judeus mortos na Segunda Guerra. Eu duvido que você encontre lógica tão sensata nos livros do Elias Canetti.

Temos uma situação complexa. Gosto de enxergar determinados blogs, sites e twitters como “a resistência”, dá um ar de Liga da Justiça pra coisa, que na verdade é muito mais boba do que parece. Esse grupo é composto pelos que vão de encontro à manipulação midiática da massa brasileira, aquela que elege Geisy como heroína e estampa o tempo inteiro ídolos de esgoto em suas manchetes principais. Essas pessoas comprometem-se com um objetivo duro: combater o que a maioria acha interessante, mas que nós, da resistência, classificamos como descartável e nocivo para a mente de quem já não tem lá tanta elucidação e liberdade de pensamento sem os controles sociais impostos há tantos anos no país. Tentamos apontar os defeitos e incentivar o raciocínio. O resultado disso é uma onda inacabável de xingamentos e revoltas injustificadas, sempre levantando a bandeira do: “Não critique o que eu gosto, seu babaca!” – Triste, mas real.

John Connor não seria tão messiânico. A “Resistência” (só aceito o termo em letra maiúscula, me desculpem), gente que gera conteúdo e que forma a opinião de pessoas em todo o mundo, é capaz de te levar ao Céu, jogando sua criação nas lavas quentes de Porto de Galinhas. Ou do Inferno, que seja. Porém, falta clareza neste trecho: quem é quem na Liga da Justiça. Não posso deixar de ver o Cardoso como Flash e o Felipe como Aquaman, por exemplo. E os ídolos de esgoto? As Tartarugas Ninja foram celebridades nos anos 90. Mas hoje em dia elas e o Mestre Splinter curtem merecidas férias nos esgotos de Paris. E hoje, quem têm acesso privilegiado, direto das entranhas de São Paulo, Rio e outros sistemas de saneamento de todo o mundo a frases como “classificamos como descartável e nocivo para a mente de quem já não tem lá tanta elucidação e liberdade de pensamento sem os controles sociais impostos há tantos anos no país”? Quem pode recolher das subterrâneas fontes de saber os ensinamentos dessa Escola de Frankfurt que parou no Pré 2? É algo que precisamos saber, para elucidar e nos libertar.

Curvem-se ou sigam a Twittess!

Curvem-se ou sigam a Twittess!

Contudo, nossas ações têm tanto resultado positivo quanto negativo. Ao mesmo tempo que muita gente concorda e se junta ao coro de pessoas contra determinadas superficialidades, damos também espaço para que outras, não preparadas, conheçam essas bobagens e passem a gostar, ou até mesmo se identificar com o que talvez merecesse permanecer para sempre na câmara do ostracismo. Exemplos como Fani e seu livro, Geisy Arruda, Bruna Surfistinha, Mulher Melancia, as “boy bands” brasileiras, entre tantos outros, ajudam a mostrar como a quantidade de ferramentas a favor da “cultura do gozo e do imediatismo” é alarmante. E pergunto: até que ponto nós, que criticamos, somos também auxiliadores de seu sucesso?

Harry Potter e a Câmara do Ostracismo é um livro que deveria ser queimado em praça pública. É destinado justamente à pessoas como você, que lê os baluartes da internet brasileira e vai fazer um vídeo idiota, um stand-up onde Cardoso e seu Ego (em maiúsculo, pois trata-se de pessoa) encontram Felipe Neto e seu Ego e todos se fundem transformando-se em Meuegotron, o Deus da internet que solta raios pelas tetas enquanto faz caretas. Você, massificado, que perde seu tempo com Crime e castigo enquanto poderia conferir as últimas dicas do Felipe sobre o livro da Fani ou outra vertente literária do subúrbio. Você, massa de manobra, que assiste Gus Van Sant ao “invez” (sic) de ler o twitter do Cardoso e se atualizar em uma das 27 câmeras instaladas na vida da Twittess. Você que goza o imediatismo e que não enxerga o trabalho social que Felipe Neto faz na sua pobre mente cada vez que rabisca três, quatro palavras no Controle Remoto, a Biblioteca de Alexandria pontocom do mundo moderno.

Se o Cardoso te bloqueia, o Google é a cura

O maior exemplo que segue a linha de raciocínio que estou tentando mostrar nesse texto encontra-se agora no Big Brother Brasil. Seu nome é Tessália Serighelli, conhecida na internet como Twittess. Para quem não sabe, o resumo de sua história é tão pequeno quanto sua importância. Há algum tempo, surgiu uma tal de Twittess no Twitter que, da noite para o dia, apareceu magicamente com mais de 40 mil seguidores (followers). Imediatamente aquilo atingiu o ego de muitos blogueiros, principalmente os pertencentes à já citada “resistência”. A referida moça tinha simplesmente utilizado um script que adicionou milhares e milhares de seguidores “robôs” ao seu perfil.

Twittess, o Santan Gos da internet, atingiu o Meuegotron da Resistência. A Skynet tem balanço magro, mas alto potencial nas mãos da massa.

Ponto final, esse foi o motivo pelo qual Tessália ficou conhecida. Simplesmente, uma mulher que usou um script pra aumentar o número de seguidores e, imediatamente, virou motivo de piada entre os blogueiros e twitteiros “relevantes” do país. O problema foi: quanto mais ela era humilhada, mais gente ficava sabendo de sua existência e seguia seu perfil só pra ficar vendo as respostas da mocinha indefesa. Resultado? Tessália ficou famosa na Internet e foi chamada até mesmo para dar palestras (uadafuck?!). Suas pérolas eram impagáveis, como quando afirmou ser mais relevante no Twitter que o Marcelo Tas, cobrando 500 reais por uma twittada patrocinada em seu Media Kit (e ela se diz analista de redes sociais) e a vez em que disse “Fifty-fifty” em entrevista para a Rede Globo. Tentou ainda ter um blog, mas o sucesso foi tão risível que sequer ganhou destaque (afinal, quando a esmagadora maioria de seus seguidores é composta por robôs e gente que segue apenas para dar gargalhada da sua cara, não dá para atingir sucesso com algo sério).

“Simplesmente, uma mulher que usou um script pra aumentar o número de seguidores“. Felipe Neto levanta questão importante: a Rosana Hermann é homem? Porque ela também usou script e não caiu na malha fina do IR (Internet Relevante – órgão da ditadura de Felipe, o Neto, responsável por atestar qualidade e visibilidade para toda e qualquer publicação da Cardosolândia, o país com PIB mais gordo do mundo). Se bem que Rosana gera conteúdo. E eu tenho pena de quem discorda disso.

Portanto, pensemos. Teria Tessália atingido a “fama” se não fosse pelos blogueiros e twitteiros que começaram a fazer piada sobre sua existência? Se o silêncio tivesse imperado, onde estaria a Twittess agora? Provavelmente tentando desesperadamente fazer robôs responderem suas twittadas, ou talvez tivesse simplesmente desistido. Mas a resistência, na tentativa de colocar todos contra alguém que teve uma atitude idiota e superficial, acabou criando uma BBB, que estampará capas de revistas, jornais e sites durante um tempo considerável, até cair no tão desejado esquecimento (não podemos deixar de lembrar: “Quem só tem bunda some”. E nem isso Tessália tem). Nós criamos um ídolo de esgoto e eu, sinceramente, peço desculpas ao povo pela minha pequena participação nisso.

É isso mesmo que você leu: a Twittess só chegou onde está por conta das piadas de Felipe, o Neto, e outros envolvidos (abraço a todos) da Resistência. Sem eles, ela seria apenas uma moça mirrada do Paraná. Porque quem só tem bunda some. É preciso ter também um cu para cagar regra na internet. Ou na vida.

Por essas e outras, percebi: devemos saber quando criticar. Apontar dedos e tentar minimizar algo que já é risível por si só pode acabar criando um monstro. Então, certas horas, devemos apenas ficar calados. Espero que os outros também consigam enxergar isso, ou a situação só tende a piorar.

Felipe, não se cale. Sem você, a internet não passa de um amontoado de vídeos idiotas que causa raiva em quem tem relevância. Aliás, aproveito o ensejo para dizer que dois integrantes da Resistência, o Brogui e o Kibeloco, estão neste exato instante postando vídeos idiotas. PRENDA OS DOIS! PRENDA AGORA! SE QUISER, LEVO A CABEÇA DELES EM UMA BANDEJA DE PRATA!

Observação pertinente: A expressão “a resistência” era pra ser uma piada. #FAIL pra mim, já que muitos levaram a sério.

Levamos Marx a sério. Levamos Keynes a sério. Levamos Freud a sério. Levamos Jesus a sério. Como não levar você, Felipe, O Neto, a sério? Você é nosso Stálin (porque o Cardoso parece o Krushev, reparem), o nosso pai, o nosso herói. Nós sempre te levaremos a sério, Grande Irmão!

Ps: a imagem de Cardoso e seu Mini-Me foi cortesia do Pablo Fernandes. Obrigado, meu caro. Muito obrigado.

Anúncios

33 pensamentos sobre “Liga da Justiça Informal da Internet

  1. Tonkiel disse:

    Felipe, o Neto. Vulto histórico da nossa web 2.0. Um texto para entrar nos anais (dele e da resistência).
    Não sabia desse fato de que a Rosana Hermann, tão famosa por nos profanar com piadinhas e trocadilhos de humor duvidoso, tinha usado de script para angariar massa de manobra no twitter.
    Engraçado que o Felipe Neto, afirma que o fato da pessoa estar no BBB não é relevante. Para ele, relevância deve ser o chequinho de R$ 120,00 que ele recebe todo mês de Adsense. Ou melhor, relevante é ir num evento pra ganhar um pen drive e comer&beber de graça.

    • Renato disse:

      Eu sou totalmente desconhecido e totalmente inferior aos blogs dele e ganho uns 10 vezes isso! te garanto que ele ganha muitoooo mais e textos como esse apenas ajudam a aumentar os ganhos dele.

      uma coisa que aprendi com o 1° blogueiro que realmente me ensinou alguma coisa e que me deu a maior lição de moral da vida, e que se quer criticar alguém na internet simplesmente o ignore so isso! ela vai acabar no esquecimento caso isso aconteça.

  2. Terminei pensando em fundar a Legiao do Mal.

  3. Esse Felipe Neto deveria morar na Suíça e nos poupar dessa verborragia dele. Ridículo. Pior que sempre acho que o blog dele é relacionado à Tv.

  4. Eu li por cima, recomendação do @r0cc0 , Não faço ideia de quem seja essa cardoso, vou ler o texto com calma em casa depois, mas parece mais um monte de “mimimi”.

    Mas é isso ai, cai de boca, não deixa gozarem na cara não. rs

    Felipe Neto também não faço a mais put@ ideia de quem seja… E tenho conseguido me esquivar de BBBs , twittes da vida e pragas novelísticas a algum tempo.

    Enquanto isso as cidades afetadas pelas chuvas continuam ferradas, o haiti foi pro saco, em são paulo o povo nadando no coco e nego preocupado com BBB? Fala sério… O povo tem que se ferrar mesmo.

    Abraço!

  5. Vilela disse:

    Simplesmente… impagável o texto… longo.. mas muito inteligente! :D

  6. CGarcia__ disse:

    Para o Felipe Neto, para o Gordoso e para a Tessália Seriguela: um graaaaande e sonoro WHATEVAH!!!

    Please, vão cobrir a guerra do Iraque, o terremoto do Haiti… As grande quantidade de fezes produzida pelas suas cabeças não podem ser consideradas conteúdo…

  7. oberdanorris disse:

    Você não tem relevância amigo, desculpe mas A Resistencia não aprovará esse texto e fará piadinhas de você, que previamente já tinha pensado nisso, apenas para se beneficiar da relevância da Resistencia, eu sou estou aqui porque não tenho lá tanta elucidação e liberdade de pensamento sem os controles sociais impostos há tantos anos no páis e para te zoar, por você ser algo classificado como nocivo e descartável pela A Resistência.

  8. Trotta disse:

    #JENIO Nada mais a declarar.

  9. Social comments and analytics for this post…

    This post was mentioned on Twitter by mattidioteque: RT @r0cc0 GENIAL!!! OBRIGADO @oimperador http://bit.ly/607g03

  10. Felipe Barros disse:

    hahaha, porra, que análise!

    o pior de tudo é que o neto realmente acredita no que escreve. relevância, resistência (mesmo ele dizendo que seria um termo de brincadeira)… ele acha MESMO que é uma espécie de messias que precisa levar conhecimento a um povo sem cultura, e que a verdade dele é mais verdadeira que todas as outras

    não sei se me cago de rir dele ou se tenho pena, sinceramente…

  11. Nunca é tarde pra descobrir um GÊNIO. Não, não tô falando do Felipe, caraleo, mas do IMPERADOR Himself. Esse texto me fez PASSAR MAL DE TANTO rir. Sensacional do começo ao fim.

    Parabéns, César!! Os que vão floodar te saúdam!!

    abraço do
    Luiz Marcondes. =)

  12. Charles disse:

    Falou, falou e não disse nada. Incrível como as pessoas insistem em escrever textos tão longos sem conseguir contudo transmitir idéia alguma. Ainda bem que não perdi tempo lendo além do primeiro parágrafo.

    • Compulsivo disse:

      Charles, se tu não ler o texto fica difícil entender a idéia do autor. Já ouvisse falar em ironia? Pois é, trata-se de um texto irônico…

      Tu leu só o primeiro parágrafo, assume que não entendeu. Comentou pra que afinal? Só pra “Causar”…

      Eu “si” divirto!

      []’s
      Compulsivo

    • Barone disse:

      Pois é… comentou, comentou e só cagou. E ainda admite que não leu!

      Se não é, esse aí deveria ser acólito do Felipe Neto.

  13. vela disse:

    tenho medo desse negócio de robôs. soa meio exterminador do futuro…

  14. Duzones disse:

    Coitado do avô do Felipe, de onde foi gerado o mesmo nome. A esta altura, o velho deve estar arranhando o caixão onde se encontra deitado, ou se por acaso estivesse vivo, neste exato momento deve estar levantando do caixão, devido a tanta idiotice que “O NETO” escreveu em seu blog.

  15. Mariana disse:

    Clap, clap, clap.

    Sem mais.

  16. Felipe Rios disse:

    Endosso.

  17. Raul disse:

    Eu acho que você não percebe a vertente de ser relevante… o trabalho herculeo que é acordar e tomar o nescau sabendo o quão relevante e o quão poderoso ele é, podendo levar mocinhas desconhecidas ao estrelado e ainda ser convidado para todos os rega-pobres que as agencias fazem com o restinho do budget. Você acha que um ser tão poderoso como ele estudou retorica? Claro que não, essa obra artistica que ele obrou é fruto da rica experiencia que ele tem aliado com a rica cultura adquirida em extensos e extenuantes 21 anos de vida.
    Mas ele tem plena noção que com a grande relevancia vem uma grande responsabilidade por isso ele pediu desculpas a todos os brasileiros que valem a pena serem lembrados pela Resistencia. Eu tenho orgulho de viver no mesmo planeta que uma pessoa como Felipe Neto. E Hail Felipe! E Hail a Resistencia. E Hail Cardoso que é um exemplo de vencedor, um homem de 40 anos que mora com a mãe e sobrevive de bicos!

  18. Le Ayan disse:

    O mundo se acabando e a geração de “causadores” preocupados com as modinhas passageiras, com o culto à ignorância!
    Vamos realmente deixar de dar “espaço” pra esses pseudos intelectuais, formadores de opinião para empolgados, deixem eles cairem no esquecimento! Nem mesmo acessem as páginas dos mesmos, assim o “relevante” lucro que eles obtem com nossos cliques, acabará e eles terão que procurar o que fazer.
    Parabéns pelo texto bastante inteligente!

  19. Le Ayan disse:

    À propósito, o tal Felipe Neto está levando os méritos com seu texto, o mal-caráter responde aos comentários do texto (que ele copiou para o tal controle remoto) como se ele mesmo tivesse escrevido…

    Ctrl c + Ctrl v = Felipe Neto.

  20. Beijomeliga disse:

    Casa comigo?
    Te dou casa, comida, roupa lavada e arroz!

  21. Srta.T disse:

    Estou vendo você num futuro próximo, Dicésar, reprogramado e prostituído, agarrado numa corrente, afundando na lava borbulhante, fazendo um djóinha para Pelipe Neto, seu protegido…

    Mas fica tranquilo que logo depois você será eleito governador da Califórnia tupiniquim, aka Ribeirão Preto, primeiro município com chopeduto integrado do Brasil! Nem vai lembrar dessa tal de internerdz…

    Já Pelipe Neto, esse baluarte da crítica independente brasileira, continuará a liderar a Resistência do desktop instalado em seu quartinho na casa de mamã. Vestido como o Homem-Codorna, barriguinha cheia de leite de pêra e Ovomaltino, o Messias não descansará enquanto…

  22. Grande disse:

    Cara, parabéns. Sensacional teu post. Disse tudo que eu gostaria de dizer depois de ler o texto do Felipe, mas com 10x mais competência do que eu seria capaz.

    A foto do Cardoso e seu Mini-Me me levou às lágrimas. Aliás, se o Cardoso ainda tinha alguma credibilidade, gastou toda no fatídico tweet em que afirmou “o @felipeneto escreve muito bem…” :-O

    Esses caras vivem dentro do campo de distorção da realidade!

  23. CGarcia__ disse:

    Toda essa cruzada contra a irrelevância é tão icônica que já temos até um filme onde o @cardoso persegue e pune os cães sem relevância!!!

  24. Malva Mauvais disse:

    Ah, sem crítica, pode fechar metade dos blogs! A outra metade é a dos que se acham poetas porque estão com dor de corno.

    E eu, ingênua, achando que a tal Tessália fez fama por conta do BBB.

    Maledicência é uma delícia de passatempo, pôxa.

    Onde é que tem inscrição pra resistência blogueira? Tem fila? Se tiver, eu passo, porque não posso pegar sol.

  25. […] Pecesiqueira e Felipe Neto – Um caso de amor. A Resistência –Texto épico do Felipe Neto. Mais sobre A Resistência – Rebate sobre o texto acima. Vlogueiro – Vídeos desse Babaca. Processar o Google – PEDINDO […]

  26. O Garçom disse:

    Felipe Neto, criado a “leite com pêra e ovomaltino”, como diz o verdadeiro sábio, é um pobre coitado.

    Caí da cadeira de tanto rir com esse texto. 10/10.

  27. lucas disse:

    odeio gnt se que paga pau pro felipe neto sendo q ele n faz nada d criativo, interessante, contrutivo, etc…soh da uma diarreia mental nele la e o povo jah fica babando ovo pra ele sendo q ele eh um cusao do caralho que faz fama atraves dos trouxas que veem os videos dele e o apoiam como se fossem putinhas do felipe neto.Ele fala mal de tudo como se fosse o dono da verdade.Isso me da nojo.

  28. […] Liga da Justiça Informal da Internet janeiro, 2010 32 comentários 5 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: